segunda-feira, 16 de julho de 2012

Ainda se é tempo

Não é simples,nada é simples, e nem desejo que seja.Aquilo que é mais desafiador , se torna mais admirável ao término.Se todas os momentos fossem simples e iguais, se todos abraços, amigos,amores,choros fossem somente situações passageiras, o que seria de nós?Simples máquinas prontas e preparadas para funcionar durante determinado tempo.Não desejo o simples, o comum, aquilo que já estamos acostumados a conviver,queria descrever não a vida, mais a passagem, como uma música,levada ao êxtase e depois a calmaria.Apenas sentida.