sexta-feira, 23 de setembro de 2011

"Green eyes" Coldplay

Seus olhos verdes um dia foram vermelhos de amor,e quando percebi estavam negros de repúdio e desprezo.Seu sorriso era tão claro que ocupava toda atenção,agora o mesmo nem existe.É tudo tão estranho e tão repentino que foi difícil de digerir tudo e de ter que aceitar que já não sabia mais quem eras.Se eras aquela pessoa que conheci, em seguida se tornando grande foco,mas quem sabe até eu que subestimei demais os outros e achava saber tudo, não faço a mínima ideia.
Você se tornou uma máquina,sem sentimentos,sem escolhas próprias e com muitos "medos".Alguém que se negou a continuar aquilo que começou,que um dia disse,alguém como uma pedra, onde suas palavras são programadas e milimetricamente estudadas.
Com tantas dúvidas, o que resta pensar?Que escolha tomar?Agir e muito menos pensar.Esqueceu as palavras e perdeu-se outra vez.
Talvez isso tudo aconteça porque nem mesmo você sabe quem é, e o que quer.

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Cheque-mate?

Já decifrei seu jogo, reverti todos seus planos,agora apenas resta a fala,e feitos de anos;
Em instantes tudo existiu,sobre nos o mundo desabou,
as máscaras rolaram, e a sinceridade foi o que restou;
Um jogo sem fim,jogadores que se disputam,não querendo deixar o mesmo terminar,e assim os olhares continuam;
A angústia da espera, de palavras com traços de esperança,em rostos e feições suaves,de uma simples criança;
Gestos de brincadeira,amizade e um toque de realização,abraços quentes,acompanhados de uma eterna compaixão;
Ele se modificou, já não pretende permanecer,em suas histórias fictícias,e seu jogo de saber;
Mas abandonaram as peças,onde a realidade se estabeleceu,com palavras verdadeiras,como sempre aconteceu;
A verdade esta estampada,em seus olhos e movimentos,com base em simples,e profundos sentimentos.

sábado, 10 de setembro de 2011

Pingos Fortes.















Parece que não enxergam a tristeza e a destruição diante de seus olhos.Não existe a mínima capacidade de estender a mão e ajudar aqueles que mais necessitam.
    No Estado de Santa Catarina,no Vale do Itajaí, os últimos dias a chuva veio se tornando constante,devastando aquilo que encontrava pela frente.O que parecia ser uma chuva passageira,acabou se tornando um caos. São nessas situações que percebemos não apenas o quanto somos frágeis mas também como a solidariedade não é mais um fator que conta.Enquanto muitos estão em seus jatinhos nos países que acreditam serem melhores,muitos estão aqui lutando para salvar restos daquilo que trabalharam 5 ou 10 anos para construir. Nossa vida passa e não é aquilo que temos que vai deixar nossa marca,mas sim aquilo que lutamos e defendemos.                                                               Enquanto estamos em nossas casas jantando,assistindo o jornal,pessoas lutam contra água, vento ou até mesmo terra para poderem sobreviver. Nesse momento deveríamos fazer mesmo que seja pouco, mas estar ali ajudando não importa quem,mas ajudando e sabendo que estamos fazendo a nossa parte. Será que é difícil ajudar o próximo?Será que é difícil dar um 1Kg de alimento ou aquela roupa que sabemos que não fará falta?Será que é difícil dar abrigo para alguém que perdeu  tudo?Creio que são coisas que basta ter força de vontade para que aconteçam.Fazer o mínimo não é difícil,pessoas necessitam de ajudam, de ao menos um abraço e que diga à elas que irá passar.Devemos parar de nos acomodar e ver a precariedade diante de nos,vamos parar de ligar para o consumismo, que cada vez mais faz com que paramos de perceber a realidade nos tornando arrogantes e egoístas. Deus pode sim nos guiar e nos mostrar dois caminhos, mas quem faz as escolhas e dá o primeiro passo somos nos.Talvez dar o passo para quele caminho onde nos sentiremos bem e estaremos lutando lado a lado seja o melhor.Pois será sua consciência que irá mostrar posteriormente se sua escolha foi a correta.







sábado, 3 de setembro de 2011

Qual a escolha de Jhony lew?

Tá com frio?
Tá com fome?
A mãe morreu
Da sede que consome,
O pai tá preso,
A irmão viro bandido,
No crime,
Bocada é seu apelido,
A fumaça,
Que nunca apaga,
Risada constante,
É quase uma praga,
Os anos passam,
Os crimes continuam,
Bebida na mão,
E os cigarros que fumam,

Essa é a vida de Jhony Lew,
Um garoto que foi influenciado,
Da necessidade de dinheiro,
Na qual pelo tráfico foi patrocinado,

Sociedade poluída,
Cabeças sem evolução,
Onde está o futuro,
Desta nação?
Crianças nas ruas,
Pedindo esmola,
Seu lugar de direito,
É na escola,
Cheiro de roubo,
E depravação,
Vivemos do lixo,
Mesmo com a constituição,
Nos manipulam,
E somos roubados,
Fazendo com que,
O futuro seja sacrificado,
A mente parou,
A cabeça travou,
A olhos não veem,
E a voz apagou,

Mas jhony continua,
Firme e forte na luta,

É julgado,
É maltratado,
E continua,
Sendo influenciado,
Na verdade o que queria,
É ter uma família,
Dar futuro aos seus filhos,
Longe de toda agonia,
Agora já não dá,
Apenas pode continuar,
Pois os bandidos,
Não pode desapontar,
Caso contrário,
Sua mãe, não vai mais ver,
Seu irmão, vai sumir,
E o pai, irá morrer.













sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Não é qualquer um que consegue ser nazista né?

Qual é?Acho que esse não foi para a escola!
Geometria e percepção não é o forte aqui.Interna#